TCM-PA encerra “Encontro para o Fortalecimento da Gestão Municipal no Pará” com entrega do Selo Dourado Gestão Transparente 2018 – Câmara de Xinguara é premiada pelo segundo ano consecutivo

Pelo segundo ano consecutivo, a Câmara Municipal de Xinguara recebeu o Prêmio TAG – Transparência, sendo agraciada com o Selo Dourado Gestão Transparente 2018. A conquista tem grande valia, e coloca a Câmara Municipal num seleto grupo de órgãos do Poder Legislativo dos municípios paraenses, que atendem a 100% dos requisitos estabelecidos pela Matriz da Controladoria Geral da União.

No último ano do Termo de Ajustamento de Gestão – TAG realizado entre Gestores Municipais e o Tribunal de Contas dos Municípios do Pará, criado em 2016 após constatação de não atendimento dos requisitos da Lei da Transparência, constatou-se uma grande evolução das prefeituras e Câmaras. Destes três anos, Xinguara obteve pleno êxito nos últimos dois exercícios, e hoje é uma das referências em transparência no estado, dada a simplicidade e dinamismo no acesso a informações.

Confira a Listagem dos Municípios e Câmaras premiados.

TAG 2018 – Listagem final de PREFEITURAS 100%

TAG 2018 – Listagem final de CÂMARAS 100%

Para o Presidente Adair Marinho, Fica um Legado positivo de Gestão, caracterizado pela idoneidade e ampla participação de vereadores e gestores: – “É uma imensa satisfação ser agraciado com o Selo Dourado Gestão Transparente 2018, e deixamos a Transparência da Câmara em condições para grandes avanços nas próximas gestões. É uma forma de envolver vereadores, servidores e a população em prol da lisura na gestão desta casa de leis”, Afirmou o presidente. 

A Partir de 2019, encerra-se o TAG, e as Câmaras e Prefeituras agora trabalharão pela manutenção e modernização dos mecanismos de acesso à Informação, a fim de simplificar cada vez mais os acessos e promover a participação popular.

 

Confira abaixo a Matéria completa Do TCM sobre a Solenidade.

Fonte: TCM/PA

O “Encontro para o Fortalecimento da Gestão Municipal no Pará”, realizado pelo Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Para (TCM-PA), nos dias 18 e 19, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, foi coroado de pleno êxito, com um público de 1.500 pessoas, entre prefeitos, presidentes de câmaras, vereadores, secretários e servidores públicos municipais, além de outras pessoas interessadas, como estudantes universitários. No encerramento do evento houve a entrega do Selo Dourado Gestão Transparente 2018 a prefeituras e câmaras municipais que cumpriram integralmente o TAG da Transparência. Na apuração do Tribunal, 102 câmaras e 81 prefeituras foram relacionadas para receber a premiação.

A entrega do Selo Dourado foi precedida pela palestra “Termo de Ajuste de Gestão na Transparência Pública”, proferida pelo presidente do TCM-PA, conselheiro Daniel Lavareda. Ele citou que o TAG da Transparência, que teve a colaboração do Observatório Social de Belém, da Universidade Federal do Pará, do Ministério Público Estadual e da Controladoria Geral da União, concorreu ao Prêmio INOVARE desse ano. “O Termo de Ajuste de Gestão foi criado para adequação dos portais de transparência dos respectivos municípios à Lei Complementar 131, que alterou a redação da Lei de Responsabilidade Fiscal no que se refere à transparência da gestão fiscal. O TAG já vem sendo executado há três anos junto aos municípios do Estado e tirou o Pará da escuridão em que se encontrava em termos de transparência pública”.

O presidente do TCM-PA lembrou que a entrega do Selo Dourado Gestão Transparente 2018 não é um salvo conduto para o gestor municipal ou a canonização do gestor. “O Selo de Transparência que o Tribunal entrega hoje atesta que, no presente momento, essas autoridades cumpriram com o seu papel de cidadão. E o Tribunal, dentro do diálogo que mantém sempre com as autoridades públicas, reconhece e incentiva essas boas práticas. O selo que é entregue hoje exige o compromisso dessas autoridades de manter a transparência pública, pois nós vamos continuar fiscalizando e não exitaremos em revogar o selo do gestor que não estiver em dia com a Lei de Acesso à Informação”, alertou Lavareda.

Daniel Lavareda destacou ainda que “em verdade, estamos entregando essa premiação à população do Estado do Pará, porque não há avanço na gestão pública e nos controles interno e externo sem a participação popular. A nossa Constituição do Pará é a única constituição estadual que prevê, como princípio, a participação popular. Me alegra ver que hoje, nesse momento, nós estamos cumprindo esse princípio”.

A conselheira vice-presidente do TCM-PA, Mara Lucia, diretora-Geral da Escola de Contas Públicas “Conselheiro Irawaldyr Rocha”, organizadora em evento, destacou a importância do encontro para os jurisdicionados do Tribunal e outros públicos interessados, como estudantes universitários, devido ao elevado nível dos palestrantes.

A entrega do Selo Dourado aos premiados foi uma festa cívica. O superintendente do Sebrae Pará, Fabrizio Guaglianone, parceiro do Tribunal no projeto, parabenizou a Corte de Contas pela iniciativa. A premiação e um estímulo a transparência pública. E importante para a sociedade e para os micro e pequenos empresários. Ele lembrou que no próximo dia 29 haverá a entrega do Premio Prefeito Empreendedor.

   

Os participantes foram brindados com palestras das seguintes autoridades: o ministro Luiz Fux, vice-presidente do STF, falou sobre “Os Avanços dos Tribunais de Contas nos 30 anos da Constituição Federal de 1988”; o professor de Direito Administrativo Jorge Ulisses Jacoby Fernandes falou sobre “Boas Práticas em Contratações Públicas: O Pais que esta dando certo”; o procurador Geral de Justiça do Estado do Para, Gilberto Valente Martins proferiu palestra sobre a “A Lei de Acesso à Informação e o Controle Social da Administração Pública”.

Outros palestrantes do evento foram: o ministro Benjamin Zymler, do TCU, falou sobre “Evolução do Processo de Contas: A Interconexão com o Processo Judicial e Cautelar a partir da Operação Lava Jato; o desembargador do TJPA, Milton Nobre, palestrou sobre “Os Tribunais de Contas com o Contencioso Administrativo: Uma Proposta”; e o presidente Daniel Lavareda, que falou sobre “Termo de Ajuste de Gestão na Transparência Pública – Um caso de sucesso no Para”.

A cerimônia de abertura do evento contou com o prestígio de grande número de autoridades como o governador eleito do Pará, Helder Barbalho, o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador-Geral do Estado do Pará, Ophir Filgueiras Cavalcante Junior, o desembargador Milton Nobre, o procurador-Chefe do Ministério Público do Estado, Gilberto Valente, a presidente do Tribunal de Contas do Estado do Pará, conselheira Lourdes Lima, o presidente da ATRICON, conselheiro Fábio Nogueira, o conselheiro José Alves, do TCE de Minas Gerais, o deputado federal Elder Mauro e os estaduais Iran Lima, Tiago Araújo e Júnior Hage.

   

O evento, que teve a coordenação geral da vice-presidente do TCM-PA e diretora geral da Escola de Contas Públicas “Conselheiro Irawaldyr Rocha”, conselheira Mara Lúcia, contou com as presenças dos conselheiros José Carlos Araújo (corregedor), Antonio José Guimarães, Sérgio Leão e Cezar Colares, bem como dos conselheiros substitutos Sérgio Dantas, Adriana Oliveira e Márcia Costa. As procuradoras do MPCM-PA, Maria Inês Gueiros e Elizabeth Salame da Silva também prestigiaram o evento.

No início da cerimônia foi feita a leitura da mensagem do presidente do STF, ministro Dias Toffoli, parabenizando os conselheiros Daniel Lavareda e Mara Lúcia e desejando êxito no evento. Houve também a apresentação do coral de crianças do Projeto Vale Música, que emocionou a todos, seguida da execução dos hinos nacional e do Pará.

GESTÃO PÚBLICA

O presidente Daniel Lavareda destacou que “para redemocratizarmos o papel da gestão pública e do controle externo tem que se ter em mente que na gestão sem transparência o controle audita com ânimo inquisitorial; e na gestão com transparência o controle audita com ânimo didático, corrigindo rumos”. Citando vários trechos da Constituição, Lavareda ressaltou que a Carta Magna apostou na participação popular: “todo poder emana do povo, que exerce por meio de representantes eleitos, ou diretamente, nos termos desta Constituição”.

Daniel Lavareda lembrou que a Constituição Federal e o próprio STF na interpretação de seu texto, conferiam aos Tribunais de Contas uma gama de funções e prerrogativas alçando-os como um dos pilares, enquanto instituição, fundamentais para a redemocratização do Estado Brasileiro. “E vocês verão que com boas práticas de controle o País dará certo!”

Print Friendly, PDF & Email

About author

Ata da Terceira Sessão Ordinária 2018

Ata da Terceira Sessão Ordinária, do primeiro período Legislativo, da segunda sessão anual, da nona legislatura da Câmara Municipal de Xinguara, realizada aos sete dias ...
Accessibility
X